sexta-feira, 30 de abril de 2010

Ninguém namora mais as deusas

--- NINGUÉM MAIS NAMORA AS DEUSAS

Outro dia, a Adriane Galisteu deu uma entrevista dizendo que os homens não querem namorar as mulheres que são símbolos sexuais. É isto mesmo.
Quem ousa namorar a Feiticeira ou a Tiazinha?
As mulheres não são mais para amar; nem para casar. São para "ver".
Que nos prometem elas, com suas formas perfeitas por anabolizantes e silicones?
Prometem-nos um prazer impossível, um orgasmo metafísico, para o qual os homens não estão preparados...
As mulheres dançam frenéticas na TV, com bundas cada vez mais malhadas, com seios imensos, girando em cima de garrafas, enquanto os pênis-espectadores se sentem apavorados e murchos diante de tanta gostosura.
Os machos estão com medo das "mulheres-liquidificador".
O modelo da mulher de hoje, que nossas filhas ou irmãs almejam ser (meu Deus!), é a prostituta transcendental, a mulher-robô, a "Valentina", a "Barbarela", a máquina-de-prazer sem alma, turbinas de amor com um hiperatômico tesão.
Que parceiros estão sendo criados para estas pós-mulheres? Não os há.
Os "malhados", os "turbinados" geralmente são bofes-gay, filhos do mesmo narcisismo de mercado que as criou. Ou, então, reprodutores como o Zafir, para o Robô-Xuxa.
A atual "revolução da vulgaridade", regada a pagode, parece "libertar" as mulheres. Ilusão à toa.
A "libertação da mulher" numa sociedade escravista como a nossa deu nisso: Superobjetos. Se achando livres, mas aprisionadas numa exterioridade corporal que apenas esconde pobres meninas famintas de amor, carinho e dinheiro.
São escravas aparentemente alforriadas numa grande senzala sem grades.
Mas, diante delas, o homem normal tem medo.
Elas são "areia demais para qualquer caminhãozinho".
Por outro lado, o sistema que as criou enfraquece os homens.
Eles vivem nervosos e fragilizados com seus pintinhos trêmulos, decadentes, a meia-bomba, ejaculando precocemente, puxando sacos, lambendo botas, engolindo sapos, sem o antigo charme "jamesbondiano" dos anos 60.Não há mais o grande "conquistador".
Temos apenas os "fazendeiros de bundas" como o Huck, enquanto a maioria virou uma multidão de voyeur, babando por deusas impossíveis.
Ah, que saudades dos tempos das bundinhas e peitinhos "normais" e "disponíveis"...
Pois bem, com certeza a televisão tem criado "sonhos de consumo" descritos tão bem pela língua ferrenha do Jabor (eu).
Mas ainda existem mulheres de verdade.
Mulheres que sabem se valorizar e valorizar o que tem "dentro de casa", o seu trabalho.
E, acima de tudo, mulheres com quem se possa discutir um gosto pela música, pela cultura, pela família, sem medo de parecer um "chato" ou um "cara metido a intelectual".
Mulheres que sabem valorizar uma simples atitude, rara nos homens de hoje, como abrir a porta do carro para elas.
Mulheres que adoram receber cartas, bilhetinhos (ou e-mails) românticos!!
Escutar no som do carro, aquela fitinha velha dos Beegees ou um cd do Kenny G (parece meio breguinha)...mas é tão boooom namorar escutando estas musiquinhas tranquilas!!!
Penso que hoje, num encontro de um "Turbinado" com uma "Saradona" o papo deve ser do tipo:
-"meu"... o meu professor falou que posso disputar o Iron Man que vou ganhar fácil!."
-"Ah "meu"..o meu personal Trainner disse que estou com os glúteos bem em forma e que nunca vou precisar de plástica". E a música???
Só se for o "último sucesso (????)" dos Travessos ou "Chama-chuva..." e o "Vai serginho"???...
Mulheres do meu Brasil Varonil!!! Não deixem que criem estereótipos!!
Não comprem o cinto de modelar da Feiticeira. A mulher brasileira é linda por natureza!!
Curta seu corpo de acordo com sua idade, silicone é coisa de americana que não possui a felicidade de ter um corpo esculpido por Deus e bonito por natureza. E se os seus namorados e maridos pedirem para vocês "malharem" e ficarem iguais à Feiticeira, fiquem... igual a feiticeira dos seriados de Tv:
Façam-os sumirem da sua vida!

Leis da vida

Prezados :

Feita uma pesquisa Internacional e os cientistas chegaram a conclusão que estas são as 13 Leis que movem o Mundo:


1- LEIS DA ATRAÇÃO (COISAS QUE SE ATRAEM SEM ESFORÇO NENHUM):

Olhos e bunda
Pobre e funk
Mulher e vitrines
Homem e cerveja
Chifre e dupla sertaneja
Carro de bêbado e poste
Tampa de caneta e orelha
Moeda e carteira de pobre
Tornozelo e pedal de bicicleta
Leite fervendo e fogão limpinho
Político e dinheiro público
Dedinho do pé e ponta de móveis
Camisa branca e molho de tomate
Tampa de creme dental e ralo de pia
Café preto e toalha branca na mesa
Dezembro na Globo e Roberto Carlos
Segundas-feiras e sono
Terças-feiras e sono
Quartas-feiras e sono
Quintas-feiras e sono
Sextas-feiras e cervejaaaaaaaaaaaaaaaaa
Chuva e carro trancado com a chave dentro
Dor de barriga e final de rolo de papel higiênico
Bebedeira e mulher feia

2- LEIS BÁSICAS DA CIÊNCIA MODERNA:

Se mexer, pertence à Biologia.
Se feder, pertence à Química.
Se não funciona, pertence à Física.
Se ninguém entende, é Matemática.
Se não faz sentido, é Economia ou Psicologia.
Se mexer, feder, não funcionar, ninguém entender e não fizer sentido, é INFORMÁTICA.


3- LEI DA PROCURA INDIRETA:

O modo mais rápido de encontrar uma coisa é procurar outra.
Você sempre encontra aquilo que não está procurando.

4- LEI DA TELEFONIA:

Quando te ligam: se você tem caneta, não tem papel. Se tiver papel, não tem caneta. Se tiver ambos, ninguém liga.
Quando você liga para números errados de telefone, eles nunca estão ocupados.
Parágrafo único: Todo corpo mergulhado numa banheira ou debaixo do chuveiro faz tocar o telefone.


5- LEI DAS UNIDADES DE MEDIDA:

Se estiver escrito 'Tamanho Único', é porque não serve em ninguém, muito menos em você...

6- LEI DA GRAVIDADE:

Se você consegue manter a cabeça enquanto à sua volta todos estão perdendo, provavelmente você não está entendendo a gravidade da situação..

7- LEI DOS CURSOS, PROVAS E AFINS:

80% da prova final será baseada na única aula a que você não compareceu e os outros 20% será baseada no único livro que você não leu.

8- LEI DA QUEDA LIVRE:

Qualquer esforço para agarrar um objeto em queda provoca mais destruição do que se o deixássemos cair naturalmente.
A probabilidade de o pão cair com o lado da manteiga virado para baixo é proporcional ao valor do carpete ou à limpeza do chão.

9- LEI DAS FILAS E DOS ENGARRAFAMENTOS:

A fila do lado sempre anda mais rápido.
Parágrafo único: Não adianta mudar de fila. A do lado é sempre mais rápida.

10- LEI DA RELATIVIDADE DOCUMENTADA:

Nada é tão fácil quanto parece, nem tão difícil quanto a explicação do manual.

11- LEI DO ESPARADRAPO:

Existem dois tipos de esparadrapo: o que não gruda e o que não sai.

12- LEI DA VIDA:

Uma pessoa saudável é aquela que não foi suficientemente examinada.
Tudo que é bom na vida é ilegal, imoral, engorda ou engravida.

13- LEI DA ATRAÇÃO DE PARTÍCULAS:

Toda partícula que voa sempre encontra um olho aberto.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

: )

Estou nessa!!!

Mensagem da minha mãe - 24/04/10

"João, meu filho, que Deus lhe abençoe.
Suas lágrimas me comoveram. E não pense você que sua mãe morreu para sempre. Apenas me ausentei de vocês por forças das circunstâncias. Pudesse, estaria ao lado de você e da Helena, como sempre estive.
Tenho recebido as suas queixas e registro os seus pensamentos, quando afirma que ficou sem um chão para pisar, sem referência e sem uma perspectiva de vida e sem vontade de viver.
Pelo amor de Deus, nunca desista da luta eterna. Eu sei que você é sensível o suficiente e capaz de administrar seus próprios conflitos e continuar caminhando de cabeça erguida e com a honestidade que bem conheço.
Perdão, meu filho, se diante dos momentos mais difíceis de sua vida, sua mãe se mantém em silêncio e não chega a se manifestar de maneira a que você desejava, fosse por algum sinal como diz você.
Tenho aprendido que cada criatura tem o livre arbítrio e temos também de atender aos preceitos das Leis Divinas, que não violentam consciência alguma. Continue sendo aquele filho maravilhoso que sempre acatou o que a mãe lhe pedia.
Fique vivo, filho. Continue sua missão na terra. Isso mesmo, viver já é a maior missão que temos que dar conta perante Deus, já que hoje convites para nos desmotivar não faltam, não faltam mesmo.
Penso que, meu filhinho querido, embora não tenha conseguido descansar a cabeça atordoada no colo da mãe, tão preocupada quanto antes. Sei e sou capaz de lhe afirmar que você voltou a encontrar agora, através de minhas palavras, o conforto e o acalento para seu coração.
Esteja mais junto à sua irmã Helena. Nossa família hoje se resume em vocês dois.
Esqueça a doença que minguou as forças da sua mãe. A diabetes me derrotou, mas com a teimosia que me era característica, levantei-me e me fortaleço a cada dia.
Aceite os desafios. Esteja conectado ao Alto através da prece. Esteja na companhia de pessoas que lhe amam e respeitam.
Devo concluir, meu filho. Aceite o coração da mãe que lhe ama e tem estado muito mais presente do que você imagina. Eu termino e antes imploro as bênçãos do Alto para vocês."

Ângela Esther Pomarico
Mensagem psicografada pelo médium Alaor Borges Jr.
Lar Espírita Irmã Valquíria – Uberaba/MG – 24/04/2010.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Li "A Cabana"


Sinopse
O livro aborda a questão recorrente da existência do mal através da história de Mack Allen Phillips, um homem que vive sob o peso da experiência de ter sua filha Missy, de seis anos, raptada durante um acampamento de fim de semana. A menina nunca foi encontrada, mas sinais de que ela teria sido assassinada são achados em uma cabana perdida nas montanhas.

Vivendo desde então sob a "Grande Tristeza", Mack, quatro anos depois do episódio, recebe um misterioso bilhete supostamente escrito por Deus, convidando-o para uma visita a essa mesma cabana. Ali, Mack terá um encontro inusitado com Deus, de quem tentará obter resposta para a inevitável pergunta: "Se Deus é tão poderoso, por que não faz nada para amenizar nosso sofrimento?"

Histórico
O livro, que tornou-se um best-seller desde seu primeiro lançamento[2] não foi escrito para ser publicado, conta o autor. A história havia sido criada como um presente que Young imprimiu para 15 amigos no natal de 2005.

Young afirma que muito da história tem a ver com sua própria experiência de vida e que escreveu o livro em uma ocasião que "ele próprio precisava de consolo"'.

A receptividade da história levou Young a mostrar o livro para dois produtores de cinema, Wayne Jacobsen e Brad Cummings. Após reescrever a história 4 vezes em pouco menos de um ano e meio, Young enviou a versão final para 26 editoras, tendo sido recusada por todas. Por causa disso, Jacobsen e Cummings criaram uma editora[4] e finalmente publicaram o livro, com um orçamento de divulgação inicial de 300 dólares.

Análises
Vale lembrar também que apesar de ser um livro de ficção com uma história intrigante, o conceito de santíssima trindade deste livro mais volta-se para o modalismo do que aquele da trindade propriamente dito.[5] Isso porque no livro encontram-se frases do tipo "E Deus falou assim: eu sou verdadeiramente humano na figura de Jesus." ou ainda "existe um círculo de relações entre nós [Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo] ao invés de uma cadeia de comando" consistentes com modalismo na qual Deus faz o papel intercaladamente e não concomitantemente de Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo e não existe hierarquia.
-------------------------------------------------
Li e gostei bastante... recomendo!!!

Pensando sobre 2012

Bom, esse negócio de profecia é algo intrigante, porque só poderemos saber se é verdade ou não quando acontecer (ou não!).
Particularmente, o "fim" do mundo já está em contínuo processo de acontecimento, desde da Revolução Industrial na Inglaterra, até esse capitalismo selvagem que presenciamos nos dias de hoje. (Se bem que, não minha humilde opinião, o ser humano jamais conseguiria viver num comunismo completo... mas isso é assunto para uma próxima discussão).
Um exemplo banal: quando eu nasci em 1978, ou seja, há 32 anos, o mês de abril era frio aqui em Poços de Caldas, havendo, segundo relatos dos moradores mais antigos (o que inclui também o que minha mãe me disse), geada nas praças centrais.
Hoje eu ainda não senti frio algum aqui na minha cidade. Tem gente que diz que esse papo de aquecimento global é bobagem, mas eu estou sentindo na pele esses efeitos... Imagina, no final de abril e nem fez frio ainda... nem parece Poços de Caldas mais.
Só esperando para ver... bom, acho melhor eu casar ano que vem mesmo porque senão não vou nem fazer Bodas de Papel rsrsrs!!!!

2012 - 3ª Profecia Maia




A destruição

A terceira profecia diz que uma onda de calor aumentará a temperatura do planeta provocando mudanças climáticas, geológicas e sociais de magnitudes sem precedentes e a uma velocidade assombrosa.Os maias disseram que esse aquecimento se dará por vários fatores. Alguns deles pelo ser humano, que por sua falta de sincronismo com a natureza só poderá produzir processos de autodestruição. Outros fatores serão gerados pelo sol, que ao acelerar sua atividade pelo aumento da sua vibração, produzirá mais irradiação aumentando a temperatura do planeta.

A atuação humana

Cada um de nós, de uma forma ou de outra, ajudamos a desflorestar o planeta ou a contaminá-lo. Com nossos automóveis, jogando lixo nas ruas ou parques públicos, contribuímos para que o clima do planeta volte-se contra nós. As mudanças já estão acontecendo, mas como estão acontecendo muito lentamente nos adaptamos a elas e nem as percebemos. O processo global de industrialização que teve lugar no século XX mudou dramaticamente a atmosfera com suas emissões de gases tóxicos.A chamada chuva ácida, um subproduto da queima de carvão ou derivados de petróleo e emissões de sulfetos e óxidos de nitrogênio das indústrias tem lugar no mundo todo e concentra-se nas áreas urbanas, corroem os monumentos e pontes, destrói a pintura externa, os bosques, causam danos à vida marinha e aos solos cultivados, transforma a água potável em tóxica e reduz a visibilidade.

A poluição oriunda das fábricas afeta violentamente o ambiente. Em milhões de lugares no planeta ainda se cozinha a lenha, criando fogueiras que emitem grandes quantidades de fumaça, cinzas, vapor d’água e gás carbônico (CO²).Tudo isso deu lugar ao aparecimento do efeito estufa, pois a concentração de CO2 que ficam flutuando na atmosfera e reagem quimicamente com dióxidos aumentando a temperatura. O ar que respiramos está cheio de partículas de monóxido de carbono (CO), dióxido de nitrogênio (NO2) e metano (CO3) produto resultante da combustão da gasolina no motor de milhões de automóveis e de milhares de usinas térmicas e de geração de eletricidade.

A depredação de selvas parra terras de cultivos ou para ampliar as cidades tornou-se uma prática comum. Os bosques que purificam o ar ao transformar gás carbônico em oxigênio, são incendiados.O ser humano não é consciente do mal que está causando ao planeta, nem que é preciso plantar para repor a vegetação que consome.

O planeta transformou-se em um grande depósito de lixo. Enviamos contêineres com resíduos radioativos para o fundo do mar, carregamos navios inteiros com substancias não-degradáveis. As variações climáticas, conseqüência das relações danosas do ser humano e das mudanças do comportamento do sol, produzem uma alteração das chuvas, diminuem sua intensidade, quantidade e regularidade. O aumento da temperatura produzirá fortes ventos, furacões e tufões. Os furacões são tormentas gigantescas e violentas, um redemoinho de destruição e morte. São chamados de FURACÃO em homenagem ao deus do mal dos aborígines do Caribe. O furacão Mithi e os fenômenos associados ao El-niño são evidências da tendência para grandes desastres causados pelo clima.

O sistema hídrico é fundamental, pois cerca de 70% da superfície do planeta está coberta por água. Com o aumento da temperatura, diminui a umidade relativa do ar que trará como conseqüência menos nuvens e maior exposição ao sol, agravando assim o problema, assim será evaporada a água dos solos, produzindo muitas secas e grandes incêndios em todo o planeta, o falto d’água produzirá grave inconveniente à vegetação, reduzindo seu crescimento e diminuindo consideravelmente o tamanho das colheitas. Ao reduzir-se a quantidade de água das chuvas, diminuirá também o fluxo dos açudes e lagos, criando sérios problemas à fauna da terra.

Conseqüências diretas

Tudo isso causará um forte impacto na economia, haverá desabastecimento e muitos produtos que dependem do clima como a água, as folhagens, os cereais, os pescados e a geração de energia elétrica terão aumentos vertiginosos de preço, serão épocas de racionamento de eletricidade, de fome e descontentamento social, aumentará o numero de pragas, insetos e doenças tropicais como a malária. O comportamento do ser humano será crucial para suportar o aumento geral da temperatura causada pela sua própria conduta inconsciente e depredatória.

2012 - 2ª Profecia Maia




O Eclipse

A 2ª profecia anunciou que o comportamento de toda a humanidade mudaria rapidamente apartir do eclipse solar de 11 de agosto de 1999. Naquele dia vimos como um anel de fogo que se recortava contra o céu, foi um eclipse sem precedentes na historia pelo alinhamento em crus cósmica com o centro da terra de quase todos os planetas do sistema solar. Eles se posicionaram nos 4 signos do zodíaco que são os signos do 4 evangelistas, os 4 guardas do trono que protagonizam o apocalipse segundo São João. Além disso, a sombra que a lua projetou sobre a terra atravessou a Europa, passando por Corsovo, depois pelo Oriente Médio , Irã, Iraque e posteriormente dirigindo-se ao Paquistão e a Índia . Com a sua sombra ela parecia prever uma área de conflitos e guerras.

Os Maias sustentavam que apartir desse eclipse, o homem perderia facilmente o controle ou então alcançaria sua paz interior e tolerância evitando os conflitos, então viveremos uma época de mudanças, que é a ante-sala de uma nova era, a noite fica mais escura antes do amanhecer.

O fim dos tempos é uma época de conflitos e de grande aprendizagem, de guerras, separação, loucura que vai gerar por sua vez processos de sofrimento, destruição e evolução.

A segunda profecia indica que a energia que se recebe do centro da galáxia aumentará e acelerará a vibração em todo o universo para conduzir a uma maior perfeição. Isso produzirá mudanças físicas no sol e mudanças psicológicas no ser humano que mudará sua forma de pensar e de sentir. Serão transformadas as formas de relacionamento e de comunicação, os sistemas econômico-sociais de ordem e justiça, serão mudados as convicções religiosas e os valores que aceitamos hoje. O ser humano irá defrontar-se com seus medos e angustias para soluciona-los e assim poderá sincronizar-se com o ritmo do planeta e do universo.

A humanidade irá se concentrar no seu lado negativo e poderá ver claramente as coisas ruins que estão fazendo, esse é o primeiro passo para mudar de atitude e conseguir a unidade que permite o surgimento de consciência coletiva. Serão incrementados os acontecimentos que nos separam mas também os que nos unem, criando uma instabilidade emocional, o medo, a agressão, o ódio, as famílias em dissolução, os enfrentamentos por ideologia, religião, modelos de moralidade e nacionalismo. Simultaneamente mais pessoas encontrarão a paz interior, aprenderão a controlar suas emoções, haverá mais respeito, serão mais tolerantes e compreensivas, encontrarão o amor e a unidade. Surgirão homens com altíssimos níveis de energia interna, pessoas com sensibilidade e poderes intuitivos para a salvação. Mas também surgirão farsantes que pretenderão obter lucro econômico as custas do desespero alheio.

O tempo fora de tempo

Os Maias previram que apartir de 1999 começaria a era do “tempo do não-tempo”, uma etapa de mudanças rápidas necessária para renovar os processos geológicos, sociais e humanos. Ao final do ciclo cada um seria seu próprio juiz, será quando o seu humano entrará no grande salão dos espelhos para analisar tudo o que fez na vida. Ele será classificado pelas qualidades que tenho conseguido desenvolver na vida, sua maneira de agir dia após dia, seu comportamento com o semelhante e com o planeta.

Todos irão se posicional segundo o que sejam, os que conservam a harmonia entenderão o que aconteceu como um processos de evolução no universo. Por outro lado, haverá outros que por ambição ou frustração culpará os outros ou a Deus pelo que acontecerá.

Serão geradas situações de destruição, morte e sofrimento. Mas elas também darão lugar ao mesmo tempo a circunstancias de solidariedade e respeito pelo semelhante, de unidade com o planeta e com o cosmos. Isso significa que o céu e o inferno estarão se manifestando ao mesmo tempo e cada ser humano viverá em um ou em outro dependendo de seu próprio comportamento. No céu com a sabedoria para transcender o que acontecerá. No inferno para aprender com a dor e com o sofrimento. Duas forças inseparáveis, uma que entende que tudo no universo evolui para a perfeição, que tudo muda, outra envolta em um plano de materialismo que só alimenta o egoísmo. Na época da mudança dos tempos, todas a opções estarão disponíveis e praticamente sem censura de nenhum tipo e os valores morais serão mais frouxos que nunca para que cada um se manifeste livremente como é.

A 2 profecia afirma que se a maioria da população muda seu comportamento e se sincroniza com o planeta serão neutralizadas as mudanças drásticas que serão descritas nas seguintes profecias. Devemos estar conscientes de que o ser humano sempre decide seu próprio destino especialmente nesta época, as profecias são apenas advertências para que tomemos consciência da necessidade de mudanças de rumo para evitar que isso se torne realidade
.

2012 - 1ª Profecia Maia


A primeira profecia fala sobre o final do medo. Diz que o nosso mundo de ódio e materialismo terminará no sábado 21 de dezembro do ano 2012. Neste dia a humanidade devera escolher entre desaparecer do planeta como espécie pensante que ameaça destruir o planeta ou evoluir para a integração harmônica com todo o universo. Compreendendo que tudo está vivo e consciente, que somos parte desse todo e que podemos existir em uma era de luz.

Conscientização e desastres naturais

A 1ª profecia Maia diz que a partir de 1999 resta-nos 13 anos, só 13 anos para realizarmos as mudanças de consciência e atitude de que eles nos falam, para que possamos nos desviar do caminha da destruição pelo qual avançamos para um outro que abra nossa consciências e a nossa mente para nossa integração com tudo o que existe. Os Maias sabiam que o nosso sol, eles o chamavam de ” Kinich-Ahau”, é um ser vivo que respira e que a cada certo tempo se sincroniza com o enorme organismo que existe, que ao receber uma manifestação de luz do centro da galáxia brilha mais intensamente produzindo em sua superfície o que nossos cientistas chamam de erupções solares e mudanças magnéticas.

Eles dizem que isso acontece a cada 5.125 anos. Que a terra se vê afetada pelas mudanças do sol mediante o deslocamento do seu eixo de rotação. Previram que a partir desse movimento haveria grandes desastres.

Harmonia universal

Para os Maias o processo universal, como a respiração da galáxia, é cíclico e nunca mudam. O que muda é a consciência do homem, que passa através deles num processo sempre em direção a mais perfeição. Com base em suas observações os Maias previram que a partir da data inicial de sua civilização, desde o 4° Ahua, 8° Cumku, isso é 3.113 a.C., 5.125 anos no futuro, ou seja, sábado 21 de dezembro de 2012 o sol ao receber um forte raio sincronizado proveniente do centro da galáxia, mudará sua polaridade e produzirá uma gigantesca labareda radiante.

Para este dia a humanidade deve estar preparada para atravessar a porta que os Maias nos deixaram. Quando a civilização atual, baseada no medo, passará para uma vibração muito mais alta de harmonia.

Só de maneira individual podemos atravessar a porta que permite evitar o grande desastre que o planeta vai sofrer para dar inicio a uma nova era, um sexto ciclo do sol.

Os Maias asseguravam que a sua civilização era a 5ª iluminada pelo sol ( Kinich-Ahau), o 5° grande ciclo solar. Que antes haviam existido outras 4 civilizações que foram destruídas por grandes desastres naturais. Achavam que cada civilização é apenas um degrau para ascensão da consciência coletiva da humanidade. Para os Maias no ultimo desastre a civilização teria sido destruída por uma grande inundação, que deixou apenas alguns sobreviventes dos quais eles eram seus descendentes. Pensavam que ao conhecer os finais desses ciclos, muitos humanos se preparariam para o que vinha e que graças a isso haviam conseguido conservar sobre o planeta a espécie pensante, o seu humano.

Eles nos dizem que a mudanças dos tempos permite subir um degrau na evolução da consciência, podemos nos dirigir a uma nova civilização que manifestará maior harmonia e compreensão para todos os seres humanos.

A escuridão

A 1 ª profecia Maia nos fala do “tempo do não-tempo“, um período de 20 anos chamado “Katún”. Os últimos 20 anos desse grande ciclo de 5.125 anos, quer dizer que desde 1992 até 2012. Profetizaram que neste tempo manchas do vento solar cada vez mais intensa apareceriam no sol, que desde 1992 a humanidade entrará num ultimo período de grandes aprendizagens, de grandes mudanças, que nossa própria conduta de depredação e contaminação do planeta contribuiriam para essas que mudanças acontecerem.

Essa profecia diz que essas mudanças irão acontecer para que possamos entender como funciona o universo e para que avancemos em níveis superiores deixando para trás o materialismo e nos livrando do sofrimento.

O livro sagrado Maia CHILAM BALAM diz que no 13° Ahau no final do último Katún ( 2012) o Itza será arrastado e rodará Tanka ( …as civilizações… cidades serão destruídas) haverá um tempo em que estarão sumidos na escuridão e depois virão trazendo sinal futuro Os Homens do Sol, a terra despertará pelo norte e pelo poente, o Itza despertará.

A 1 ª profecia anunciou que 7 anos depois do inicio do 1° katún, ou seja, 1999, começaria uma época de escuridão que todos nós enfrentaríamos com nossa própria conduta, disseram que as palavras de seus sacerdotes seriam escutadas por todos nós como orientação para o despertar. Eles falam dessa época como o tempo em que a humanidade entrará no grande salão dos espelhos, uma época de mudanças para que o homem enfrente a si mesmo para fazer com que ele entre no grande salão dos espelhos, para que ele veja e análise seu comportamento com ele mesmo, com os demais, com a natureza e com o planeta onde vive.

Uma época para que toda a humanidade por decisão consciente de cada um de nós decida mudar e eliminar o medo e a falta de respeito de todas nossas relações.

Fonte: http://www.doismiledoze.com/

segunda-feira, 26 de abril de 2010

2 and a 1/2 men


Tio se oferece para substituir Charlie Sheen em série

Joe Estevez, 60, tio do ator Charlie Sheen, 44, é candidato para substituir o sobrinho na série "Two And A Half Men". No Brasil, o programa é exibido pelo canal pago Warner.

Um assessor disse que levaria a proposta de substituição para o criador da série, Chuck Lorre. O personagem Charlie sumiria e, em seu lugar, entraria Joe.

Ainda segundo o assessor, a tentativa de salvar o seriado, um dos mais populares da TV americana, é "pelo bem de toda a família".

Charlie Sheen responde a processo após ter ameaçado a mulher com uma faca no final do ano passado.

A família de Sheen é de atores: Joe é irmão mais novo de Martin Sheen, 69. Os irmãos de Charlie também são atores, o mais famoso é Emilio Estevez.
------------------------------------
Se bem que a alma do programa é o Allan ... mas vamos ver no que vai dar!!!!

Almoço em família

Muito bom o almoço em família de ontem.
Fiquei muito feliz por meu pai e a Dalva terem ido almoçar conosco.
Eu, Rodrigo, Carlos, Goreti, meu pai e a Dalva!!!
Muito bom mesmo...

Depois posto a foto aqui ...
Feliz : P

Se todos os humanos fossem assim ...

sexta-feira, 23 de abril de 2010

É pique ... é pique ...




é hora... é hora... é hora ...

rsrsrs

Parabéns pra mim e pra todas as pessoas que fazem aniversário no dia de hoje!!!
AAAAeeeeee ...


Croata: Sretan rođendan
Alemão: Herzlichen Glückwunsch zum Geburtstag
Eslovaco: Všetko najlepšie k narodeninám
Grego: Χαρούμενα γενέθλια
Frances: Joyeux anniversaire
Inglês: Happy birthday
Chines: 生日快乐
Búlgaro: честит рожден ден
Sueco: Grattis på födelsedagen
Holandes: Hartelijk gefeliciteerd
Noruegues: Gratulerer med dagen
Italiano: Buon compleanno
Tcheco: Všechno nejlepší k narozeninám
Brasileiro: Feliz aniverssario
Ucraniano: З Днем Народження
Hebraico:יום הולדת שמח

São Jorge - 23 de abril

Imagem clássica de São Jorge

São Jorge e o dragão por Gustave Moreau

Brasão de armas de Moscou


São Jorge é o santo patrono da Inglaterra, Portugal, Geórgia, Catalunha, Lituânia, da cidade de Moscou e, extra-oficialmente, da cidade do Rio de Janeiro (título oficialmente atribuído a São Sebastião), além de ser padroeiro dos escoteiros e do S.C Corinthians Paulista. No dia 23 de Abril comemora-se seu martírio. Ele também é lembrado no dia 3 de novembro, quando, por toda parte, se comemora a reconstrução da igreja dedicada a ele, em Lida (Israel), onde se encontram suas relíquias, erguida a mando do imperador romano Constantino I. Há uma tradição que aponta o ano 303 como ano da sua morte. Apesar de sua história se basear em documentos lendários e apócrifos (decreto gelasiano do século VI), a devoção a São Jorge se espalhou por todo o mundo. A devoção a São Jorge pode ter também suas origens na mitologia nórdica, pela figura de Sigurd, o caçador de dragões

De acordo com a lenda, Jorge teria nascido na antiga Capadócia, região do sudeste da Anatólia que, atualmente, faz parte da República da Turquia. Ainda criança, mudou-se para a Palestina com sua mãe após seu pai morrer em batalha. Sua mãe, ela própria originária da Palestina, Lida, possuía muitos bens e o educou com esmero. Ao atingir a adolescência, Jorge entrou para a carreira das armas, por ser a que mais satisfazia à sua natural índole combativa. Logo foi promovido a capitão do exército romano devido a sua dedicação e habilidade — qualidades que levaram o imperador a lhe conferir o título de conde da Capadócia. Aos 23 anos passou a residir na corte imperial em Roma, exercendo a função de Tribuno Militar.

Nesse tempo sua mãe faleceu e ele, tomando grande parte nas riquezas que lhe ficaram, foi-se para a corte do Imperador. Jorge, ao ver que urdia tanta crueldade contra os cristãos, parecendo-lhe ser aquele tempo conveniente para alcançar a verdadeira salvação, distribuiu com diligência toda a riqueza que tinha aos pobres.

O imperador Diocleciano tinha planos de matar todos os cristãos e no dia marcado para o senado confirmar o decreto imperial, Jorge levantou-se no meio da reunião declarando-se espantado com aquela decisão, e afirmou que os ídolos adorados nos templos pagãos eram falsos deuses.

Todos ficaram atônitos ao ouvirem estas palavras de um membro da suprema corte romana, defendendo com grande ousadia a fé em Jesus Cristo. Indagado por um cônsul sobre a origem dessa ousadia, Jorge prontamente respondeu-lhe que era por causa da Verdade. O tal cônsul, não satisfeito, quis saber: "O que é a Verdade?". Jorge respondeu-lhe: "A Verdade é meu Senhor Jesus Cristo, a quem vós perseguis, e eu sou servo de meu redentor Jesus Cristo, e Nele confiando me pus no meio de vós para dar testemunho da Verdade."

Como Jorge mantinha-se fiel ao cristianismo, o imperador tentou fazê-lo desistir da fé torturando-o de vários modos. E, após cada tortura, era levado perante o imperador, que lhe perguntava se renegaria a Jesus para adorar os ídolos. Todavia, Jorge reafirmava sua fé, tendo seu martírio aos poucos ganhado notoriedade e muitos romanos tomado as dores daquele jovem soldado, inclusive a mulher do imperador, que se converteu ao cristianismo. Finalmente, Diocleciano, não tendo êxito, mandou degolá-lo no dia 23 de abril de 303, em Nicomédia (Ásia Menor).

Os restos mortais de São Jorge foram transportados para Lida (Antiga Dióspolis), cidade em que crescera com sua mãe. Lá ele foi sepultado, e mais tarde o imperador cristão Constantino mandou erguer suntuoso oratório aberto aos fiéis, para que a devoção ao santo fosse espalhada por todo o Oriente.

Pelo século V, já havia cinco igrejas em Constantinopla dedicadas a São Jorge. Só no Egito, nos primeiros séculos após sua morte, construíram-se quatro igrejas e quarenta conventos dedicados ao mártir. Na Armênia, em Bizâncio, no Estreito de Bósforo na Grécia, São Jorge era inscrito entre os maiores santos da Igreja Católica.

Na Itália, era padroeiro da cidade de Gênova. Frederico III da Alemanha dedicou a ele uma Ordem Militar. Desde Dom Nuno Álvares Pereira, o santo é reconhecido como padroeiro de Portugal e do Exército. Na França, Gregório de Tours era conhecido por sua devoção ao santo cavaleiro; o Rei Clóvis dedicou-lhe um mosteiro, e sua esposa, Santa Clotilde, mandou erguer várias igrejas e conventos em sua honra. A Inglaterra foi o país ocidental onde a devoção ao santo teve papel mais relevante.

O monarca Eduardo III colocou sob a proteção de São Jorge a Ordem da Jarreteira, fundada por ele em 1330. Por considerá-lo o protótipo dos cavaleiros medievais, o rei inglês Ricardo I, comandante de uma das primeiras Cruzadas, constituiu São Jorge padroeiro daquelas expedições que tentavam conquistar a Terra Santa dos muçulmanos. No século XIII, a Inglaterra já celebrava o dia dedicado ao santo e, em 1348, criou a Ordem dos Cavaleiros de São Jorge. Os ingleses acabaram por adotar São Jorge como padroeiro do país, imitando os gregos, que também trazem a cruz de São Jorge na sua bandeira.

Ainda durante a Grande Guerra, muitas medalhas de São Jorge foram cunhadas e oferecidas aos enfermeiros militares e às irmãs de caridade que se sacrificaram ao tomar conta dos feridos de guerra.

As artes, também, divulgaram amplamente a imagem do santo. Em Paris, no Museu do Louvre, há um quadro famoso de Rafael, intitulado São Jorge vencedor do Dragão. Na Itália, existem diversos quadros célebres, como um de autoria de Donatello.

A imagem brasileira de São Jorge seria, possivelmente, de autoria de Martinelli.

Padroeiro da Inglaterra
Não há consenso, porém, a respeito da maneira como teria se tornado patrono da Inglaterra. Seu nome era conhecido pelos ingleses e irlandeses muito antes da conquista normanda, o que leva a crer que os soldados que retornavam das cruzadas influíram bastante na disseminação de sua popularidade. Acredita-se que o santo tenha sido escolhido o padroeiro do reino quando o rei Eduardo III fundou a Ordem da Jarreteira, também conhecida como Ordem dos Cavaleiros de São Jorge, em 1348.De acordo com a história da Ordem da Jarreteira, Rei Artur, no século VI,colocou a imagem de São Jorge em suas bandeiras. Em 1415, a data de sua comemoração tornou-se um dos feriados mais importantes do país.

Hoje em dia na Inglaterra, todavia, a festa de São Jorge comemorada todo dia 23 de abril tem tido menos popularidade ao longo das últimas décadas. Algumas rádios locais, como a BBC já chegaram a promover enquetes perguntando qual seria, de acordo com a opinião pública, o orago dos ingleses, e eis que o eleito foi Santo Alba. Muitos fatores contribuíram a isso. Primeiramente por ter sido substituído, segundo bula do Papa Leão XIII de 2 de junho de 1893, por São Pedro como padroeiro da Inglaterra — recomendação que perdura até hoje.

Posteriormente, pelas reformas do Papa Paulo VI, São Jorge foi rebaixado a santo menor de terceira categoria (segundo hierarquia católica), cujo culto seria opcional nos calendários locais e não mais em caráter universal. No entanto, a reabilitação do santo como figura de primeira instância, e arcanjo, lembrando a figura do próprio Jesus Cristo; pelo Papa João Paulo II em 2000, conferiu nova relevância a São Jorge. Atualmente, haja vista a grande popularidade e apelo turístico de festas como a escocesa St. Andrew's Day, a irlandesa St. Patrick's Day e mesmo a galesa St. Dave's Day, têm-se formado grande iniciativa de setores nacionalistas para que o St. George's Day volte a gozar da mesma popularidade entre os ingleses como antigamente.

Padroeiro de Portugal
Pensa-se que os Cruzados ingleses que ajudaram o Rei Dom Afonso Henriques a conquistar Lisboa em 1147 terão sido os primeiros a trazer a devoção a São Jorge para Portugal. No entanto, só no reinado de Dom Afonso IV de Portugal que o uso de São Jorge!! como grito de batalha se tornou regra, substituindo o anterior Sant'Iago!! O Santo Dom Nuno Álvares Pereira, Condestável do Reino, considerava São Jorge o responsável pela vitória portuguesa na batalha de Aljubarrota. O Rei Dom João I de Portugal era também um devoto do Santo, e foi no seu reinado que São Jorge substituiu Santiago como patrono de Portugal. Em 1387, ordenou que a sua imagem a cavalo fosse transportada na procissão do corpo de Cristo. Assim, séculos mais tarde, chegaria ao Brasil.

Padroeiro da Catalunha
A presença documental da devoção a São Jorge em terras catalãs remonta ao século VIII: documentos da época falam de um sacerdote de Tarragona chamado Jorge que fugiu para a Itália. Já no século X, um bispo de Vic tinha o nome de Jorge, e no século XI o abade Oliba consagrou um altar dedicado ao santo no mosteiro de Ripoll. Encontram-se exemplos do culto a São Jorge dessa época, na consagração de capelas, altares e igrejas em diversos pontos da Catalunha. Os reis catalães mostraram a sua devoção a São Jorge: Tiago I de Catalunha explica em suas crônica que foi visto o santo ajudando os catalães na conquista da cidade de Malorca; Pedro o Cerimonioso fundou uma ordem de cavalaria sob a sua proteção; Afonso, o Magnânimo dedicou-lhe capelas nos reinos da Sardenha e Nápoles.

Os reis e a Generalidade da Catalunha impulsionaram a celebração da festa de São Jorge por todas as regiões catalãs. Em Valência, em 1343, já era uma festa popular; em 1407, Mallorca celebrava-a publicamente. Em 1436, a Generalidade da Catalunha propôs, nas côrtes reunidas em Montsó, a celebração oficial e obrigatória de São Jorge; em 1456, as côrtes reunidas na Catedral de Barcelona ditaram uma constituição que ordenava a festa, inclusa no código das Constituições da Catalunha. As remodelações do Palácio da Generalidade (sede do governo catalão) feitas durante o século XV são a prova mais clara da devoção impulsionada por esse órgão público, ao colocar um medalhão do santo na fachada gótica e ao construir no interior a capela de São Jorge.

São Jorge, o Dragão e a Princesa
Baladas medievais contam que Jorge era filho de Lorde Albert de Coventry. Sua mãe morreu ao dá-lo à luz e o recém nascido Jorge foi roubado pela Dama do Bosque para que pudesse, mais tarde, fazer proezas com suas armas. O corpo de Jorge possuia três marcas: um dragão em seu peito, uma jarreira em volta de uma das pernas e uma cruz vermelho-sangue em seu braço. Ao crescer e adquirir a idade adulta, ele primeiro lutou contra os sarracenos e, depois de viajar durante muitos meses por terra e mar, foi para Syle´n, uma cidade da Líbia.

Nesta cidade, Jorge encontrou um pobre eremita que lhe disse que toda a cidade estava em sofrimento, pois lá existia um enorme dragão cujo hálito venenoso podia matar toda uma cidade, e cuja pele não poderia ser perfurada nem por lança e nem por espada. O eremita lhe disse que todos os dias o dragão exigia o sacrifício de uma bela donzela e que todas as meninas da cidade haviam sido mortas, só restando a filha do rei, Sabra, que seria sacrificada no dia seguinte ou dada em casamento ao campeão que matasse o dragão.

Ao ouvir a história, Jorge ficou determinado em salvar a princesa. Ele passou a noite na cabana do eremita e quando amanheceu partiu para o vale onde o dragão morava. Ao chegar lá, viu um pequeno cortejo de mulheres lideradas por uma bela moça vestindo trajes de pura seda árabe. Era a princesa, que estava sendo conduzida pelas mulheres para o local do sacrifício. São Jorge se colocou na frente das mulheres com seu cavalo e, com bravas palavras, convenceu a princesa a voltar para casa.

O dragão, ao ver Jorge, sai de sua caverna, rosnando tão alto quanto o som de trovões. Mas Jorge não sente medo e enterra sua lança na garganta do monstro, matando-o. Como o rei do Marrocos e do Egito não queria ver sua filha casada com um cristão, envia São Jorge para a Pérsia e ordena que seus homens o matem. Jorge se livra do perigo e leva Sabra para a Inglaterra, onde se casa e vive feliz com ela até o dia de sua morte, na cidade de Coventry.

De acordo com a outra versão, Jorge acampou com sua armada romana próximo a Salone, na Líbia. Lá existia um gigantesco crocodilo alado que estava devorando os habitantes da cidade, que buscaram refúgio nas muralhas desta. Ninguém podia entrar ou sair da cidade, pois o enorme crocodilo alado se posicionava em frente a estas. O hálito da criatura era tão venenoso que pessoas próximas podiam morrer envenenadas. Com o intuito de manter a besta longe da cidade, a cada dia ovelhas eram oferecidas à fera até estas terminarem e logo crianças passaram a ser sacrificadas.

O sacrifício caiu então sobre a filha do rei, Sabra, uma menina de quatorze anos. Vestida como se fosse para o seu próprio casamento, a menina deixou a muralha da cidade e ficou à espera da criatura. Jorge, o tribuno, ao ficar sabendo da história, decidiu pôr fim ao episódio, montou em seu cavalo branco e foi até o reino resgatá-la. Jorge foi até o reino resgatá-la, mas antes fez o rei jurar que se a trouxesse de volta, ele e todos os seus súditos se converteriam ao cristianismo. Após tal juramento, Jorge partiu atrás da princesa e do "dragão". Ao encontrar a fera, Jorge a atinge com sua lança, mas esta se despedaça ao ir de encontro à pele do monstro e, com o impacto, São Jorge cai de seu cavalo. Ao cair, ele rola o seu corpo, até uma árvore de laranjeira, onde fica protegido por ela do veneno do dragão até recuperar suas forças.

Ao ficar pronto para lutar novamente, Jorge acerta a cabeça do dragão com sua poderosa espada Ascalon. O dragão derrama então o veneno sobre ele, dividindo sua armadura em dois. Uma vez mais, Jorge busca a proteção da laranjeira e em seguida, crava sua espada sob a asa do dragão, onde não havia escamas, de modo que a besta cai muito ferida aos seus pés. Jorge amarra uma corda no pescoço da fera e a arrasta para a cidade, trazendo a princesa consigo. A princesa, conduzindo o dragão como um cordeiro, volta para a segurança das muralhas da cidade. Lá, Jorge corta a cabeça da fera na frente de todos e as pessoas de toda cidade se tornam cristãs.

O dragão (o demônio) simbolizaria a idolatria destruída com as armas da Fé. Já a donzela que o santo defendeu representaria a província da qual ele extirpou as heresias.

São Jorge, a Lua e os Orixás
A ligação de São Jorge com a lua é algo puramente brasileiro, com forte influência da cultura africana. Tal associação se dá porque na Bahia o santo é associado a Oxossi, orixá associado à lua. No Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo e em Recife, no candomblé e na umbanda, o santo é associado a Ogum. A tradição diz que as manchas apresentadas pela lua representam o milagroso santo, seu cavalo e sua espada pronto para defender aqueles que buscam sua ajuda.

São Jorge na cultura popular
Dia 23 de abril, para algumas das religiões afro-brasileiras, é o dia em que se fazem homenagens ao santo.
Jorge de Capadócia é uma música de Jorge Ben, interpretada também por Caetano Veloso, Fernanda Abreu e pelos Racionais MC's.
As tatuagens com o santo estão entre as que fazem mais sucesso no Brasil.
Atualmente existe uma grande variedade de produtos de moda que possuem a estampa de São Jorge, desde simples camisas a até mesmo bolsas de marcas famosas.
São Jorge é tido como o padroeiro do Corinthians. Acredita-se que sua história de devoção e fidelidade à Verdade cristã até o fim de seu martírio seja a origem do termo "Fiel", popular entre os torcedores e presente em várias agremiações corintianas.
Existe um romance sobre São Jorge criado pelo escritor italiano Tito Casini chamado Perseguidores e Mártires (no Brasil, editado pelas Edições Paulinas, por volta de 1960). No livro, São Jorge é retratado como o verdadeiro paladino da Capadócia que, apesar de ser perseguido pelo tirano imperador Diocleciano, manteve-se fiel ao Império Romano, mas também a Cristo e se recusou a contrair alianças com o genro do imperador, Galério, que pretendia ter o apoio do conde da Capadócia para deliberar um golpe contra Diocleciano, o que terminantemente, o santo militar recusou.
São Jorge é considerado o santo padroeiro dos jogadores de RPG.
A banda inglesa Iron Maiden fala de São Jorge na música "Flash of the Blade", no álbum Powerslave.
A banda brasileira Angra utilizou a imagem do santo na capa do álbum Temple of Shadows.
Zeca Pagodinho gravou recentemente em seu álbum "Uma Prova de Amor" a música "Ogum" com uma letra com um forte apelo ao sincretismo, a oração de São Jorge é feita no trecho final da música pelo cantor e compositor Jorge Ben.
Moacyr Luz e Aldir Blanc fizeram a música "Medalha de São Jorge" em homenagem ao santo.

-----------

Bela história ... só não acredito em orixás (cada um com a sua fé!).

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Quico é tricolor







Carlos Villagrán, eternizado como o personagem Quico do seriado mexicano Chaves, assistiu do camarote do Morumbi à vitória do São Paulo sobre o Once Caldas, 1 a 0, na quarta-feira, pela Libertadores.

Surpreso com a recepção calorosa da torcida tricolor, Quico vestiu a camisa 1 de Rogério Ceni, sendo ovacionado.

Na internet, o filho da Dona Florinda é ironizado por ter “previsto” a paradinha de Neymar em Rogério Ceni, na vitória do Santos diante do São Paulo, 2 a 1, na Arena Barueri, pela 1ª fase do Campeonato Paulista.

Na pele de Rogério Ceni, Quico foi enganado na cobrança de Chaves, ou melhor, Neymar. Assista:
Em sua nova visita ao país, Villagrán participará do 2º Festival da Boa Vizinhança, que acontece neste sábado, em São Paulo. Além de Quico, o evento contará com Edgar Vivar, o Seu Barriga.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Será?


Será hoje?!

Um pouco de Administração

Planejamento Estratégico – muito mais do que planilhas...

Muitos pensam que basta apenas uma boa planilha, e pronto – o negócio já pode abrir as portas... Muitos outros, nem disso imaginam precisar!

Conforme comentamos em outros artigos, a grande maioria dos pequenos e médios empreendedores parte para o mercado baseando-se apenas em suas próprias idéias, perspectivas e experiências anteriores.

Em nossa modesta opinião, trata-se de uma enorme oportunidade ao erro.

A equivocada idéia de que um Planejamento Estratégico se resume a uma planilha financeira, vive sempre presente na mente desses empreendedores. Ela provoca a sensação de que planejar é algo muito complicado, que exige amplo conhecimento financeiro, domínio de cálculos, planilhas eletrônicas e..., que isso tudo toma muito tempo!

Ainda que apenas na esfera intuitiva e mental, todos os empreendimentos partem de um plano de negócios – simples ou complexo; amplo ou incipiente; completo ou efêmero. Afinal, haverá sempre uma idéia, mais ou menos concreta, que sustente o início do negócio.

Criar um planejamento estratégico não significa construir uma planilha!

Planejar significa cercar-se de um conjunto de ferramentas, estruturas e informações que facilitam a operação da empresa, tornando-a eficaz e preparada para os desafios do negócio. Planejar é uma atitude constante e não uma atividade única e estática.

Vamos simplificar tudo isso!

O Planejamento Estratégico é uma visão estruturada do empreendimento, construída de forma a propiciar a análise antecipada de informações em vários exercícios, verificando os possíveis comportamentos, custos e receitas da estrutura proposta, assim como cenários futuros e alternativos frente ao mercado alvo.

Mesmo que essa definição – grotescamente simplista aos olhos dos mestres dessa ciência – possa ainda parecer complexa àqueles que “tocam” o cotidiano de seus negócios, podemos simplificá-la um pouco mais: Trata-se de um conjunto de exercícios e análises que antecipam cenários futuros, prevendo possíveis problemas e dificuldades, assim como oportunidades e novos caminhos.

Talvez seja uma heresia chamá-la de definição, mas essa segunda visão sobre o assunto nos passa uma sensação clara de que através dela conseguimos prever e antecipar problemas, assim como estudar alternativas. Se isso é verdade, temos que concordar que esse tal planejamento é algo bom e que não deveria ser feito apenas na fase inicial do negócio, não é mesmo?

Pois é…!

Planejamento Estratégico é um processo, uma atitude, uma forma de pensar, portanto, tem que ser contínuo e interativo aos passos da empresa. Essa é a inteligência do negócio!

Sem qualquer dúvida, o grau de consistência e assertividade do plano inicial pode prever as possibilidades de sucesso ou fracasso. Entretanto, devemos entender que apenas a constância do ato de revisá-lo e adequá-lo, como uma atitude contínua e interativa, fortalece as chances de êxito do negócio, mesmo nas situações mais difíceis.

Devemos ter em mente que a estratégia é a ponte que une a idéia (objeto do negócio) ao mercado comprador, e que o plano de negócios é a ferramenta necessária à construção dessa ponte. Porém, não podemos esquecer que os desejos, os requisitos e as demandas de compra desse mercado podem também mudar repentinamente.

Dessa forma, fica fácil compreender que essa ponte pode sofrer muito com tais mudanças de demanda. Um plano inicial de negócios consegue até suportar essas pequenas mudanças – dependendo da consistência e da amplitude da sua concepção – mas isso não dura muito tempo.

Eis aqui um dos principais equívocos dos empreendedores – imaginar que um plano de negócios é feito para sempre.

Não! Ele serve para nortear os primeiros passos da empresa – definir direções; orientar investimentos e iniciativas; suportar a operação inicial; prever possíveis gastos e receitas – mas daí a pensar que seja eterno, é um grande erro.

Como sabemos, a idéia (o objeto do negócio) é formatada pela empresa (em produtos ou serviços) a fim de atender a necessidade do mercado comprador. Para tanto, são necessários vários estudos sobre essa necessidade: qualitativos, quantitativos, características da demanda, entendimento das forças que impulsionam o desejo de compra, os “porquês” da necessidade, sua extensão em potencial e tempo, etc. Portanto, seria lógico pensar que como as características de compra do mercado sofrem influências e mudanças o tempo todo, compreendê-las se torna imprescindível ao ajuste do nosso plano, não é mesmo?

Assim, fica fácil verificar que o estudo dessas características é o fator-chave do processo de planejamento estratégico. Logo, podemos entender que o planejamento, por sua vez, há que ser revisto constantemente, de forma que todas as variáveis e tendências comportamentais de compra possam ser coletadas, analisadas e compreendidas, antecipadamente.

Por isso, a palavra “antecipadamente” resume a importância do plano, assim como o termo “constantemente” define seu potencial de acerto, e, por conseguinte, o sucesso da empresa.

Muito mais do que buscar o como planejar, há que se entender o porquê planejar – suas características, sua amplitude e sua eficácia. Afinal, poder pensar e agir antecipadamente às dificuldades e às oportunidades é o mesmo que prever o potencial de sucesso de qualquer empreendimento!


Roberto A. Trinconi
CEO
EdgerSense Consulting
The Business Management Intelligence Company

"Posso errar?"

Por Leila Ferreira


Há pouco tempo fui obrigada a lavar meus cabelos com o xampu “errado”. Foi num hotel, onde cheguei pouco antes de fazer uma palestra e, depois de ver que tinha deixado meu xampu em casa, descobri que não havia farmácia nem shopping num raio de 10 quilômetros. A única opção era usar o dois-em-um (xampu com efeito condicionador) do kit do hotel. Opção? Maneira de dizer. Meus cabelos, superoleosos, grudam só de ouvir a palavra “condicionador”. Mas fui em frente. Apliquei o produto cautelosamente, enxaguei, fiz a escova de praxe e.... surpresa! Os cabelos ficaram soltos e brilhantes — tudo aquilo que meus nove vidros de xampu “certo” que deixei em casa costumam prometer para nem sempre cumprir. Foi aí que me dei conta do quanto a gente se esforça para fazer a coisa certa, comprar o produto certo, usar a roupa certa, dizer a coisa certa — e a pergunta que não quer calar é: certa pra quem? Ou: certa por quê?

O homem certo, porexemplo: existe ficção maior do que essa? Minha amiga se casou com um exemplar da espécie depois de namorá-lo sete anos. Levou um mês para descobrir que estava com o marido errado. Ele foi “certo” até colocar a aliança. O que faz surgir outra pergunta: certo até quando? Porque o certo de hoje pode se transformar no equívoco monumental de amanhã. Ou o contrário: existem homens que chegam com aquele jeito de “nada a ver”, vão ficando e, quando você se assusta, está casada — e feliz — com um deles.

E as roupas? Quantos sábados você já passou num shopping procurando o vestido certo e os sapatos certos para aquele casamento chiquérrimo e, na hora de sair para a festa, você se olha no espelho e tem a sensação de que está tudo errado? As vendedoras juraram que era a escolha perfeita, mas talvez você se sentisse melhor com uma dose menor de perfeição. Eu mesma já fui para várias festas me sentindo fantasiada. Estava com a roupa “certa”, mas o que eu queria mesmo era ter ficado mais parecida comigo mesma, nem que fosse para “errar”.

Outro dia fui dar uma bronca numa amiga que insiste em fumar, apesar dos problemas de saúde, e ela me respondeu: “Eu sei que está errado, mas a gente tem que fazer alguma coisa errada na vida, senão fica tudo muito sem graça. O que eu queria mesmo era trair meu marido, mas isso eu não tenho coragem. Então eu fumo”. Sem entrar no mérito da questão — da traição ou do cigarro — concordo que viver é, eventualmente, poder escorregar ou sair do tom. O mundo está cheio de regras, que vão desde nosso guarda-roupa, passando por cosméticos e dietas, até o que vamos dizer na entrevista de emprego, o vinho que devemos pedir no restaurante, o desempenho sexual que nos torna parceiros interessantes, o restaurante que está na moda, o celular que dá status, a idade que devemos aparentar. Obedecer, ou acertar, sempre é fazer um pacto com o óbvio, renunciar ao inesperado.
O filósofo Mario Sergio Cortella conta que muitas pessoas se surpreendem quando constatam que ele não sabe dirigir e tem sempre alguém que pergunta: “Como assim?! Você não dirige?!”. Com toda a calma, ele responde: “Não, eu não dirijo.. Também não boto ovo, não fabrico rádios — tem um punhado de coisas que eu não faço”. Não temos que fazer tudo que esperam que a gente faça nem acertar sempre no que fazemos. Como diz Sofia, agente de viagens que adora questionar regras: “Não sou obrigada a gostar de comida japonesa, nem a ter manequim 38 e, muito menos, a achar normal uma vida sem carboidratos”. O certo ou o “certo” pode até ser bom. Mas às vezes merecemos aposentar régua e compasso. (Leila Ferreira é jornalista, apresentadora de TV e autora do livro Mulheres – Por que será que elas...)

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Comerciais inteligentes




















Professor inteligente

O fato narrado abaixo é real e aconteceu em um curso de Engenharia da USJT (Univ. São Judas Tadeu), tornando-se logo uma das 'Lendas' da faculdade...
Na véspera de uma prova, 4 alunos resolveram 'chutar o balde': iriam viajar juntos. Faltaram à prova... E então resolveram dar um 'jeitinho'...

Voltaram à USJT na terça-feira, sendo que a prova havia ocorrido na segunda-feira...
Então, dirigiram-se ao professor:
- Professor, fomos viajar, o pneu furou, não conseguimos consertá-lo, tivemos mil problemas, e por conta disso tudo, nos atrasamos... Mas gostaríamos de fazer a prova'.

O professor, sempre compreensivo:
- Claro! Vocês podem fazer a prova hoje a tarde, após o almoço.

E assim foi feito.

Os rapazes correram para casa e 'racharam' de tanto estudar...
Na hora da prova, o professor colocou cada aluno em uma sala diferente, sem qualquer meio de comunicação com o mundo externo e entregou a prova:

-Primeira pergunta, valendo 0,5 ponto:
Escreva algo sobre 'Lei de Ohm'.

Os quatro ficaram contentes, pois haviam visto algo sobre o assunto.
Pensaram que a prova seria muito fácil e que haviam conseguido se dar bem.

- Segunda e última pergunta, valendo 9,5 pontos :

Qual pneu furou?'

Diferença entre: Bom, Ruim e Terrível

BOM : Sua esposa está grávida.
RUIM : São trigêmeos.
TERRÍVEL : Você fez vasectomia ano passado e não contou pra ninguém.

BOM : Sua esposa não fala mais com você.
RUIM : Ela quer o divórcio.
TERRÍVEL : Ela é advogada.

BOM: Seu filho passou da puberdade.
RUIM: Ele está envolvido com a vizinha da frente.
TERRÍVEL: Você também está.

BOM : Seu marido entende de moda feminina.
RUIM: Usa a sua roupa.
TERRÍVEL: Fica melhor nele que em você.

BOM : Você decide dar aula de educação sexual para a sua filha.
RUIM : Ela te interrompe várias vezes.
TERRÍVEL: Corrigindo você.

BOM: Sua filha arranjou seu primeiro emprego.
RUIM: De prostituta.
TERRÍVEL: Seus colegas do futebol e do trabalho estão todos ficando clientes dela.
MAIS TERRÍVEL AINDA : Ela está ganhando 10 vezes mais que você e disse que vai reformar a casa e te dar um carro novo.

BOM: Você arranjou uma gata quente para bater papo via CHAT... Começou no erótico, partiu pra sacanagem e descambou para a ########### pura.
RUIM: não agüentando de tesão você resolve se revelar. Ela responde que conhece você muito bem e que não vai dar para continuar porque você não passa de um grande canalha e, ainda por cima, vai contar para a sua mulher!
TERRÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍVEL: Era sua sogra.

MORAL DA HISTÓRIA:
Tá ruim? Não reclama... Aprenda a sorrir de seus problemas e não terá razões para deixar de sorrir!
Loucura é fazermos sempre as mesmas coisas e esperarmos por resultados diferentes!
Lembre-se que um dia você já foi o espermatozóide mais esperto da turma!!!

Os fantasmas de Scrooge







Um Conto de Natal, uma das obras mais conhecida de Charles Dickens, já ganhou dezenas de adaptações para as telas. O texto de 1843 virou filme, um curta-metragem, pela primeira vez logo na aurora do cinema, em 1910, pela Edison Manufacturing Company.

Desde então, o conto teve as mais diversas interpretações. Dos Muppets a Bill Murray, passando por Tio Patinhas e Matthew McConaughey, o velho Scrooge ganhou versões em todos os gêneros e com maior ou menor grau de fidelidade ao original. Dessa forma, o clássico natalino avança através das eras. Do cinema mudo e preto e branco, ganhou som, depois cor, efeitos especiais... e agora estreia na mais avançada tecnologia disponível no mercado, o 3-D estereoscópico com captura de movimentos e projeção em IMAX.

Robert Zemeckis, que já explorou essa tecnologia toda em O Expresso Polar e a aperfeiçoou em A Lenda de Beowulf, agora atinge pleno domínio da técnica. Mas ainda que Um Conto de Natal tenha virado o high-tech Os Fantasmas de Scrooge - surpresa! -, ele mantém todo o teor melodramático do original.

A história é a velha conhecida de sempre. O velhote avarento Ebenezer Scrooge trata mal os empregados e a pouca família que tem, já que considera o Natal uma festa sem sentido. Mas na véspera da festividade é visitado pelo fantasma de seu velho sócio, que avisa: ele será visitado por três outros fantasmas que lhe mostrarão os Natais passados, o Natal presente e os Natais vindouros. E Scrooge embarca em uma jornada sobrenatural para aprender o significado da família, amigos e da compaixão.

A marca Walt Disney Company que estampa o filme e a contratação de Jim Carrey para dublar e interpretar Scrooge e todos os fantasmas (a versão brasileira tem a voz de Guilherme Briggs) , podem até prenunciar um filme leve, familiar. Mas o resultado é sombrio, dramático e assombroso em diversos momentos.

Claro, Zemeckis insere elementos aventurescos na produção - como os alucinados travelings aéreos a cada vez que um fantasma apanha o pobre Scrooge pela mão ou algumas perseguições cheias de suspense -, mas isso é pura pirotecnica. É no drama que o filme se sustenta.

Gary Oldman como o ajudante Bob Cratchit está perfeito. Quando o sofrimento do personagem e sua família começa dá até pra esquecer o visual levemente caricato das pessoas. E Zemeckis filma como diretor iraniano, com longos planos-sequência, jogando pela janela nessas cenas tudo o que se entende por "cinema blockbuster" e seus planos de 7 segundos no máximo. Ele fica ali, movendo a câmera colada nos rostos, evidenciando a profundidade e registrando aquele teatro todo, cortando apenas quando realmente necessário, para trocar radicalmente um ângulo ou cena. Como se não bastasse, ainda dá ao público momentos nunca vistos no cinema 3-D. A cena expressionista em que Scrooge acende a vela, surgindo em primeiro plano da escuridão, é de enorme beleza.

Fica a dúvida, porém, em relação ao público-alvo do filme. Definitivamente não é uma história para crianças. Há sustos, muita vertigem e lamentação. Mas os adultos já conhecem de cor a trama, não se surpreendem mais com a técnica e podem se aborrecer com as citadas exageradas viagens aéreas pela cidade vitoriana. Assim, quem pode se interessar por este Os Fantasmas de Scrooge? Ele é bonito e fiel à obra, mas a história está velha. Cobri-la de pixels que saltam à vista só traz modernidade por um ângulo...


------------------------------------------------------------

Pegamos na locadora por ser com o Jim Carrey. O filme é fascinante e, como diz a crítica aí, não sabemos mesmo se é para adultos ou crianças, pois a lição de vida apresentada é fantástica.

Vale a pena... filminho para um fim de tarde de um domingo frio rsrsrs!!!!
p.s.: Preciso mostrar esse filme para alguns Scrogges que conheço rsrsrs!!! Urgente!!!!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Ctrl C + Ctrl V




Dizem que as cópias são uma homenagem ao Walt Disney, pois imitam trabalhos que foram supervisionados por ele.
Será?!

quarta-feira, 14 de abril de 2010

terça-feira, 13 de abril de 2010

Minerim Fidaputa!!!

O mineirinho vai a São Paulo visitar seu amigo paulistano e é convidado a jantar na casa do amigo.

Quando estão jantando ele vai até a cozinha beber um copo de água quando aparece a esposa de seu amigo e na maior cara de pau levanta a saia e mostra que está sem calcinha.

Ela pergunta - Vc gostou?
E o mineirinho que não é bobo responde:
- Gostei muito.
Então ela diz: - Pode ser sua por 500 reais!

O mineirinho pergunta se pode ser no dia seguinte depois do almoço e ela diz que sim.

No outro dia lá pelas duas horas da tarde o mineirinho passa na casa de seu amigo paulistano e a patroa dele já está toda cheirosa esperando-o.

Eles se divertem muito e o mineirinho dá a ela 500 reais e vai embora feliz para Minas Gerais.

À noite quando o paulistano chega em casa vai logo perguntando para a esposa:

- Amor, o mineirinho teve aqui hoje depois do almoço?
Assustada ela responde que sim.
E o marido pergunta: - Ele te deu 500 reais?
Já tremendo, a esposa confirma e o marido responde:
- É gente boa aquele mineirinho! Ele passou no escritório antes do almoço e me pediu 500 reais emprestado e disse que pagaria depois do almoço e deixaria o dinheiro com você, etâ gente boa esses mineiros!!!!!
----------
Essa vai especialmente para minha amiga paulistana - Vanessa!!! Bjossss...

Piadinha antiga e boa

O sujeito lembra-se que é aniversário de sua filha e que ainda não havia comprado seu presente. Ele pára seu carro diante de uma loja de brinquedos, entra e pergunta à vendedora:

- Quanto custa a Barbie que está na vitrine?

De uma forma educada a vendedora responde:
- Qual Barbie? Pois nós temos:
- Barbie vai a academia por R$ 19,95
- Barbie joga volley por R$ 19,95
- Barbie vai as compras por R$ 19,95
- Barbie vai a praia por R$ 19,95
- Barbie vai dançar por R$ 19,95
- Barbie advogada divorciada por R$ 265,95.

O cara, assombrado, pergunta: * Por que a Barbie advogada divorciada custa R$ 265,95, enquanto as outras custam apenas R$ 19,95 ?

A vendedora responde:

- Senhor, a Barbie divorciada vem com:
- O carro do Bob,
- A casa do Bob,
- A Lancha do Bob,
- O trailler do Bob,
- Os móveis do Bob

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Versão Lego


Só para não perder o hábito ... rs ... versão Lego de "Um estranho no ninho"

Um estranho no ninho



Sinopse
Randle Patrick McMurphy é um malandro que após ser preso, se finge de louco para ir para um hospital psiquiátrico e assim esquivar-se a uma porção de trabalhos forçados na prisão. Lá ele começa a influenciar os outros internos, e começa a sofrer oposição da cruel e sádica enfermeira Mildred Ratched. Com forte poder persuasivo, McMurphy instaura uma reviravolta na clínica, não sabendo ele o que isto lhe pode custar.

Elenco principal
Jack Nicholson.... Randle Patrick McMurphy
Louise Fletcher.... enfermeira Mildred Ratched
William Redfield.... Harding
Brad Dourif.... Billy Bibbit
Michael Berryman.... Ellis
Peter Brocco.... coronel Matterson
Dean R. Brooks.... dr. John Spivey
Alonzo Brown.... Miller
Scatman Crothers.... Orderly Turkle
Mwako Cumbuka.... atendente Warren
Danny DeVito.... Martini
William Duell.... Jim Sefelt
Josip Elic.... Bancini
Christopher Lloyd.... Taber
Philip Roth.... Woolsey
Vincent Schiavelli.... Frederickson
Will Sampson.... Chief
[editar] Principais prêmios e indicações
Oscar 1976 (EUA)

Venceu nas categorias de melhor filme, melhor ator (Jack Nicholson), melhor atriz (Louise Fletcher), melhor diretor (Milos Forman) e melhor roteiro adaptado.
Indicado nas categorias de melhor ator coadjuvante (Brad Dourif), melhor fotografia, melhor edição e melhor trilha sonora.
Globo de Ouro 1976 (EUA)

Venceu nas categorias de melhor filme - drama, melhor diretor, melhor ator - drama (Jack Nicholson), melhor atriz - drama (Louise Fletcher), melhor revelação masculina (Brad Dourif) e melhor roteiro.
BAFTA 1977 (Reino Unido)

Venceu nas categorias de melhor filme, melhor diretor, melhor ator (Jack Nicholson), melhor atriz (Louise Fletcher), melhor ator coadjuvante (Brad Dourif) e melhor edição.
Foi indicado ainda nas categorias de melhor fotografia, melhor roteiro e melhor trilha sonora.
Prêmio Bodil 1976 (Dinamarca)

Venceu na categoria de melhor filme americano.
Prêmio Eddie 1976 (EUA) (American Cinema Editors)

Venceu como filme melhor editado.
Prêmio César 1977 (França)

Venceu na categoria de melhor filme estrangeiro.
Prêmio David di Donatello 1976 (Itália)

Venceu na categoria de melhor diretor de filme estrangeiro e melhor ator estrangeiro (Jack Nicholson).
Prêmio NYFCCA 1975 (New York Film Critics Circle Awards, EUA)

Venceu na categoria de melhor ator (Jack Nicholson).


O filme conta a história de um homem que submete-se a um tratamento em um sanatório. Contudo, as atitudes do personagem não demonstram nenhum problema mental o que gera grandes discussões entre ele e os médicos da clínica.

O nome deste filme – Um Estranho no Ninho – reflete bem o seu conteúdo pois mostra a relação, e as conseqüências da relação, entre uma pessoa que ao se inserir numa sociedade "quebra" a rotina da mesma desrespeitando a ordem vigente .

Ao entrar no sanatório Mac observa toda a rotina monótona a qual os pacientes eram submetidos e, como não se adapta a ela tenta mudá-la. Ao fazer isto é reprimido pelos dirigentes, médicos e enfermeiros do local. Por diversas vezes sua insanidade foi contestada mas como era de seu interesse, Mac fazia se passar por doente mental.

As punições eram feitas através de agressões físicas como choques elétricos e visavam na verdade assustar os outros pacientes para evitar que fizessem o mesmo, o que podemos relacionar com as punições sociais citadas na obra de * Berger . "Os métodos de controle variam de acordo com a finalidade e o caráter do grupo em questão. Em qualquer um dos casos, os mecanismos sociais funcionam de maneira a eliminar membros indesejáveis (...) para estimular os outros"." ( p. 81 ).

Com o passar do tempo os outros pacientes foram encontrando em Mac aquilo o que eles gostariam de ter mas não podiam devido a organização da clínica, ou seja, elegeram Mac como um líder e ao mesmo tempo como um "protetor" contra as ameaças de punições, já que este não demonstrava medo ao receber uma punição e mantinha o seu principal objetivo: alcançar a liberdade.

Analisando sociologicamente esta passagem do filme encontramos a questão da relação de carisma e liberdade entre as pessoas, e das pessoas com a ordem vigente, respectivamente.

"Vale notar que Weber considerava o carisma como uma das principais forças motrizes da História, muito embora percebesse lucidamente que o carisma é sempre um fenômeno de curta duração. Entretanto, por mais que os velhos padrões possam reaparecer no curso da "rotinização" do carisma, o mundo nunca mais é o mesmo. Muito embora a mudança tenha sido maior do que os revolucionários esperavam, houve, não obstante, uma mudança". ( p.143 ).

Os significados de liberdade são diferentes na visão subjetiva e objetiva. Quando pensamos em liberdade imaginamos uma situação onde tudo o que queremos conseguimos, imaginamos uma sociedade sem regras, sem domínios. Entretanto a liberdade real - social - nada tem em relação a esta liberdade subjetiva e relaciona-se com o que pensaríamos ser o seu oposto, a causalidade. "Liberdade não é aquilo que não tem causa." (p. 138 ) ou seja, um indivíduo é livre dentro das várias regras já determinadas socialmente ( as regras delimitam os parâmetros da liberdade) .

O que Mac via como liberdade no filme não era a liberdade real, possível na sociedade a qual estava inserido - esta liberdade ele só conquistaria quando não pertencesse mais a tal sociedade e, como demostrou o filme ele a conquistaria após a morte - por isto ela não poderia ser alcançada.

Mac buscou no sanatório uma forma de tornar-se livre já que por várias vezes foi preso. Imaginou que ao se fazer passar por "louco" teria sua liberdade alcançada pois os loucos podem fazer tudo o que querem já que são loucos. Se o conceito real de liberdade fosse o entendido por Mac, ele teria conseguido, mas como não o é o mesmo deveria Ter-se ajustado aos limites de liberdade do sanatório. "Como demostrou Weber, se fosse assim o louco seria o ser humano mais livre que existe. O indivíduo consciente de sua própria liberdade não se situa fora do mundo da causalidade: antes percebe sua própria volição como uma categoria especialíssima de causa, diferente das outras causas que tem de levar em conta". (p. 138 )

Entre outros significados que o filme pode trazer para as interpretações sociológicas temos a do respeito ao seu próprio valor dentro dos limites sociais ( A Sociedade no Homem e O Homem na Sociedade ).
-------------
Por falta de filmes novos e bons... pegamos esse clássico do cinema, de 1974 ... eu gostei bastante, faz você pensar em algumas coisas, afinal de contas é um filme conceitual... já o Rodrigo... dormiu da primeira metade para frente do filme... rs!

sábado, 10 de abril de 2010

Animais de Lego


















Os novos moradores do Zoológico da Filadélfia não têm grades ou cercados para os separar dos visitantes. Os 10 animais, todos ameaçados de extinção, não oferecem risco para as pessoas, pois são de… Lego!

No sábado, 10 de abril, começa a exposição Creatures of Habitat: A Gazillion-Piece Animal Adventure, composta por animais em tamanho real, feitos por milhões das famosas pecinhas de plástico, que fazem parte das lembranças da infância de muita gente. Os animais têm a assinatura do especialista em lego Sean Kenney.
------------------
Achei bem bacana esses animais em Lego... se bem que eu sou super suspeita para falar de Lego ... afinal, passei a infância inteira com esse brinquedo ... Adoro!!!